quarta-feira, fevereiro 15, 2006

Revirando gavetas

Revirar gavetas é uma atividade prazerosa. É um momento de encontro consigo mesmo, com o que se foi, o que se é, e o que se pretende ser. A gaveta é onde o passado, o presente e o futuro se encontram.
E é revirando gavetas que se descobre que antes, durante e depois, somos os mesmos. Nós podemos evoluir na vida, melhorar, mas não mudamos nunca.


Nossa essência permanece e saber utilizá-la da melhor forma possível é a chave da felicidade. Pois temos de ser felizes sendo quem somos, e não criando personagens. Porque não podemos fugir de nossa personalidade e este fato ao mesmo tempo que aprisiona, liberta.

Aprisiona pois nos faz ter que aceitar muitas coisas, admirar muitas características que gostaríamos de ter, porém sem conseguir alcançá-las.
Liberta pois nos ensina que não precisamos nos preocupar em ser assim ou assado, apenas precisamos aceitar que existimos e que somos únicos, e que é possível administrar uma personalidade de maneira a ser feliz.

Ser quem se é é ter a certeza de que os dias podem passar, nós podemos sofrer horrores, passar por alegrias imensas, cair, levantar, rir, chorar... mas nunca perderemos nossa essência.

Revirar gavetas, memórias, lembranças, é perceber que podemos mudar o curso do rio diversas vezes, pois no final ele vai, irremediavelmente, se encontrar com o mar, e nada terá sido em vão.

2 comentários:

Anônimo disse...

eu acredito que até a essência muda, Bel!!! essa é a graça da vida... afinal de contas vivemos no reflexo condicionado; se mudamos o jeito de ver as coisas, mudamos a essência tb!!!!
passe amanhã no pathiro, ok???

Rafa´s disse...

nossa adoro revirar gaveta, encontro muitas coisas que marcou, vai marca e esta marcando..encontro de tudo lá...e nossa essência permanece pra sempre creio muito nisso...e adorei o texto...bjossss mil e te amo ...